Promoção de Natal

19 de ago de 2009

A Magia do Amuleto - Introdução

Introdução


Entre as inúmeras lendas que cercam a Amazônia de magia e mistério, há uma que conta a história de tribos constituídas exclusivamente por mulheres. A formação dessas tribos esteve ligada à exploração e humilhação que as mulheres sofriam junto aos homens com quem viviam. Corajosamente, elas fugiram e se organizaram em grupos.
Ficaram conhecidas como Icamiabas - mulheres sem marido - e passaram a ser respeitadas por sua capacidade de sobrevivência. Escolhiam, para a perpetuação da tribo, guerreiros indígenas fortes e corajosos, ou homens brancos capturados nas lutas travadas. Durante o ritual de procriação, eles eram presenteados com pequenos objetos, feitos com o barro verde retirado do fundo da Lagoa Sagrada - os muiraquitãs. Com o passar do tempo, esses amuletos foram encontrados por naturalistas e arqueólogos em vários pontos da Amazônia. Atualmente, a maioria se encontra exposta em museus do exterior ou em coleções particulares.
Em 1541, uma expedição espanhola comandada por Francisco de Orellana percorreu o Rio Grande (conhecido como Mar Dulce), desde os Andes até a foz, no oceano Atlântico, em busca de ouro e prata. Durante a travessia, houve um confronto com várias guerreiras na foz do rio Nhamundá (divisa entre os estados do Amazonas e Pará). Este confronto foi relatado em diário de bordo por Frei Gaspar de Carvajal, que as descreveu como “mulheres altas, belas, fortes, de longos cabelos, que andavam completamente despidas, com arcos e flechas, guerreando como dez índios”. Elas foram associadas às guerreiras da mitologia grega, e o rio foi batizado como "Rio de las Amazonas".
E aos poucos a Amazônia revelou-se ao mundo, despertando nos povos conquistadores o interesse pelos seus mistérios e suas riquezas. Mas a exploração que se seguiu deixou um rastro de degradação e morte na imensa floresta.
Nossa história se inicia com essa busca desenfreada por riquezas, e o encontro inevitável com a magia do lugar…



Cristina Brandão e Márcia Figueiredo

11 comentários:

  1. Fantástico ! Não conhecia essa história.

    Beijo nessas meninas lindas...

    ResponderExcluir
  2. eu curti tanto a história, adoro quando as mulheres triunfam mas não sou feminista...nem um pouquinho, kkkkkkkkkk

    mas essas daí chegaram a dar medo, acho que o que passamos não devemos fazer os outros passarem depois. dizer que sofremos não justifica.

    ResponderExcluir
  3. Alôha menina suas lindas!!

    Procurei o Livro aqui por Porto Alegre e não encontrei..Qual a livraria que esta sendo distribuído?
    Quanto carinho gostoso deixaram lá em minha atmosferas, delícia!!

    Bom final de semana,, Márcia e Cris

    Bjus amigas queridas!!

    Hod.

    ResponderExcluir
  4. Solange, que legal vc aqui!!!!
    Beijos,
    Marcia

    ResponderExcluir
  5. Oi Balinha
    Elas sofreram muito, mas no nosso livro não fazem ninguém sofrer... São guerreiras que defendem seu lar. Se a Amazônia contasse com a força e obstinação de guerreiros como elas, com certeza nossas florestas estariam mais preservadas...

    Muito bom ter seus comentários por aqui!!!
    Beijos!!!
    Marcia

    ResponderExcluir
  6. Aloha, Hod!!!!
    Nosso livro só é vendido pelo site da editora ou conosco (os próximos serão diferentes, espero...) Qualquer coisa, fala com a gt. (vendemos + barato rsrsrsr)

    O que vc recebe é o retorno de um carinho cultivado por suas palavras mágicas!
    Beijos, Marcia

    ResponderExcluir
  7. Meninas, belissima introdução. Estou indo ler o Capitulo V.

    Beijossss

    ResponderExcluir
  8. Vc é um doce, Índia!!!
    Eu lembro muito bem quando a Cris pediu pra vc adicionar a gt no seu blog, impressionada por vc ser a "Índia Manauara"( tudo a ver com o nosso livro)... eu agradeço essa coincidência, pois nos deu a oportunidade de conhecê-la!!!!!!!!
    Beijos mil!!!!

    ResponderExcluir
  9. Amores! Lindo enredo! E com certeza bem estudado e bem pesquisado!
    Os espanhois destruiram mtas coisas, são, até hoje, extremamente predatórios. À principio nosso país tinha tudo para dar certo e as forças espirutais trabalharam por quase mil anos para isso (vide Brasil: pátria do evangelho e coração do mundo). Uma nação de todos os povos. E, ainda por cima, com tribos matriarcais? Decerto, esse país deveria ser governado pelas mulheres, e o mundo também!
    Li a postagem anterior, falando da safadesa da editora. É lastimável! E sem contar que vcs deram dinheiro inicialmente. Isso faz parecer mesmo que no Brasil se lançar livros é apenas sonho, ou melhor, delírio! E que o autor é um abusado por delirar isso!
    Mando pra vcs o link de um site em que faz venda de e-books. Não sei qual a porcentagem do lucro pro autor, mas é só falar com a Jossi Slavi: http://www.amorelivros.justtech.com.br/
    Vcs poderiam disponibilar o livro como e-book. Os e-books que vi por lá são vendidos a 10 reais. Visite o site :)
    Bjus!

    ResponderExcluir
  10. Link mais específico:
    http://amorelivros.justtech.com.br/index.php?cPath=123&osCsid=a5f2a3df00342b4eb30d2f41874a46a9

    ResponderExcluir
  11. Oi Snake
    Tu ta falando como ON ou OFF? rsssrs
    Muito obrigada pelo interesse, vamos procurar saber a respeito, ok?
    Sua história é bacana, qd eu tiver com menos sono vou lá pra ler... Off, vc precisa se entender com o ON, ele parece ser ótimo!!!!
    beijos!!!
    Marcia

    ResponderExcluir

Queremos conhecer sua opinião :)

A Sacerdotisa Yana e o Capitão Rodrigo

Capa do livro "Herança da Paixão", de Shannon Drake
Minha'lma de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver
Não és sequer a razão do meu viver, pois que tu és já toda a minha vida

Não vejo nada assim, enlouquecida
Passo no mundo, meu amor, a ler
No misterioso livro do teu ser, a mesma história tantas vezes lida

Tudo no mundo é frágil, tudo passa
Quando te digo isso, toda a graça
De tua boca bonita fala em mim, de olhos postos em ti, digo de rastro

Podem voar mundos, mover astros
Que tu és como um deus, princípio e fim."

Florbela Espanca