Promoção de Natal

15 de nov de 2009

Tecelã dos Sonhos



Com o fio
dos momentos...
formo um novelo.
Transpassando-o na agulha no tempo,
desenho os resquícios nascidos do esquecimento,
no tear da alma...
Conspiro com a saudade,
e vai surgindo
uma tela de memórias
e sentimentos...
(borboletas transformando
palavras em versos)



Tecelã dos Sonhos

9 comentários:

  1. OLÁS!
    QUE LINDO!
    É A VERDADEIRA CONSTRUÇÃO DE UMA VIDA, DA NOSSA HISTÓRIA...
    LINDO, ADOREI.
    BEIJOS DA AMIGA,
    GISLENE.

    ResponderExcluir
  2. Video e musica linda! A poesia entao... pura sensibilidade.

    Beijos, queridas.

    ResponderExcluir
  3. Querida Gislene, foi isso que eu senti com o poema...
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Índia, essa música me dá vontade de repetir, repetir...
    beijos mil pra vc!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Gis,realmente as imagens e a poesia são fantásticas! É de arrepiar a alma!!!
    É a história de todas nós num momento único...
    Bjs tatuados de magia,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. Querida Índia,nossas almas são sensíveis e choronas,né? Você faz parte dessa tribo!
    Bjs no seu core,
    Cris

    ResponderExcluir
  7. Alôha Gurias...Tri legal!!!
    Depois de longos 45 dias a Gaivota volta a voar em busca de auroras boreais cobertas por matizes em Furta Cor!! Exuberante o Video!!!
    Bastante contente com a visita de vcs.
    Beijos Márcia, Cris!! Alôha!!

    Hod.

    ResponderExcluir
  8. Vídeo maravilhoso. Amei!
    Bom domingo!
    Nice

    ResponderExcluir
  9. Olá, Márcia e Cris!
    Como estão sempre na ativa, nos proporciona uma boa desculpa para uma visita sem aviso ou convite rs
    E, como sempre, dando gotas de amostra de seus talento... o poema me lembrou das 3 deusas tecelãs, que tecem o destino dos homens, o passado, presente e futuro.
    E quanto aos projetos?
    Bjus! Sempre tudo de bom pra vocês!
    =]~

    ResponderExcluir

Queremos conhecer sua opinião :)

A Sacerdotisa Yana e o Capitão Rodrigo

Capa do livro "Herança da Paixão", de Shannon Drake
Minha'lma de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver
Não és sequer a razão do meu viver, pois que tu és já toda a minha vida

Não vejo nada assim, enlouquecida
Passo no mundo, meu amor, a ler
No misterioso livro do teu ser, a mesma história tantas vezes lida

Tudo no mundo é frágil, tudo passa
Quando te digo isso, toda a graça
De tua boca bonita fala em mim, de olhos postos em ti, digo de rastro

Podem voar mundos, mover astros
Que tu és como um deus, princípio e fim."

Florbela Espanca