Promoção de Natal

21 de set de 2009

O Dilema De Yana


  "No caminho de volta à aldeia, Yana não parava de pensar em tudo que acabara de acontecer. Com os punhos cerrados, apertava o cabo da faca com força em suas mãos, não acreditando que passara por aquele tormento.

   Por que Rodrigo a ferira tão profundamente? Num instante, ele a encheu de vida; no outro a matou.  E ela consentiu. Sim, ultimamente, havia se deixado enfraquecer. Então esse era o sentimento contra o qual o seu povo se afastara, e sua mãe a havia alertado? Amar trazia muita dor e sofrimento. Não valia a pena.

  Ao chegar, assustou-se ao ver a mãe acordada. Sentou-se a seu lado olhando-a nos olhos, e segurando suas mãos, falou serenamente:

  -Não me pergunte o que aconteceu, mas entendi a sabedoria de suas palavras.  Preciso provar a mim mesma que sou digna de guiar o nosso povo, e para isso devo participar do ritual com o capitão, pois só assim eu saberei se posso servi-las como uma verdadeira sacerdotisa. Tenha certeza de que o que passei serviu para fortalecer o respeito aos costumes do nosso povo, e agora faço deles o meu caminho. Você tem minha palavra, e quero a sua de que o meu pedido será atendido.

   Caia percebeu o brilho diferente no olhar da filha, e sentiu que poderia confiar nela. 

   -Não quero entender o porquê do seu pedido, mas acho que você tem que enfrentar isso como uma prova final. O confronto com a dor trará feridas profundas, mas quando elas cicatrizarem, você será mais forte. Sempre é melhor enfrentar os desafios para não haver arrependimentos. O que acaba de pedir será feito."  




7 comentários:

  1. Enfrentar o sofrimento com dignidade é virtude de poucos, apenas dos que tem coragem.

    Yana é assim.

    Parabéns pela bela personagem!

    Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Meninas,

    Estou agoniada para saber o que Rodrigo fez para Yana. Vocês estão torturando. rsrs

    Digam-me: como posso comprar o livro sem ser da editora, vocês vendem? Quero um.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. TUDO BEM NÉEEEE??
    KKKKKKKK

    Na verdade gurias quando eu comecei a ler essa parte do livro, eu imaginei 2 situações:
    a primeira: A idéia principal pela qual escreveu essa posição de Yana.. óbvio...

    Mas em um segundo momento, imaginei que independente de ter a responsabilidade com seu povo, ela na verdade enrolou a mãe BONITO!

    E ainda ganhou o GOSTOSÃO!!!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ê índiazinha esperta, viu?
    huahuahuahua

    Bjkas

    ResponderExcluir
  4. TUDO BEM NÉEEEE??
    KKKKKKKK

    Na verdade gurias quando eu comecei a ler essa parte do livro, eu imaginei 2 situações:
    a primeira: A idéia principal pela qual escreveu essa posição de Yana.. óbvio...

    Mas em um segundo momento, imaginei que independente de ter a responsabilidade com seu povo, ela na verdade enrolou a mãe BONITO!

    E ainda ganhou o GOSTOSÃO!!!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ê índiazinha esperta, viu?
    huahuahuahua

    Bjkas

    ResponderExcluir
  5. Índia querida miga! A Yana é uma guerreira corajosa,sim! Mas nos deu um trabalho insano na construção de sua personalidade...fico até arrepiada,só em pensar!!!rsrsrsrs
    Bjs tatuados,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. Neiva,miguinha! A tortura é proposital mesmo!!!rsrsrsr
    Manda o seu endereço para o e-mail:teresadecassiax@gmail.com
    O livro chegará até vc,tá?
    Bjs da Cris

    ResponderExcluir
  7. Flavita,vc acertou na mosca! A Yana,além de guerreira é acima de tudo mulher...rsrsrsr...tá explicado,né?
    Adorei o seu retorno!!!
    Bjs tatuados da Cris

    ResponderExcluir

Queremos conhecer sua opinião :)

A Sacerdotisa Yana e o Capitão Rodrigo

Capa do livro "Herança da Paixão", de Shannon Drake
Minha'lma de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver
Não és sequer a razão do meu viver, pois que tu és já toda a minha vida

Não vejo nada assim, enlouquecida
Passo no mundo, meu amor, a ler
No misterioso livro do teu ser, a mesma história tantas vezes lida

Tudo no mundo é frágil, tudo passa
Quando te digo isso, toda a graça
De tua boca bonita fala em mim, de olhos postos em ti, digo de rastro

Podem voar mundos, mover astros
Que tu és como um deus, princípio e fim."

Florbela Espanca